04 outubro 2007

... Porque Existem Amanhãs

... Porque Existem Amanhãs

Brinco com minhas sombras
Fantasmas presentes
Que me rodeiam
Mata-me o desencanto
De um desamor anunciado
Desmonto-me e sofro
Pela premência do destino
Que enfim veio crucificar
Colocando cada coisa
Cada pessoa no seu lugar

Sem meu consentimento
Ando então pelas nuvens
Sem consistência
Sabendo que chegou o dia
E que invasores levarão meu tesouro
Porque nada é possível
Até que simplesmente seja

Assim, eu não dormia
Ficava de guarda
Brincando com sombras
Fantasmas presentes
Que nem sei quem são
E é porque meus olhos
Não se abriam tanto
Ou talvez não soubessem ver
A verdade que dormia ao meu lado
E não adiantou nada, nada
Absolutamente nada
Pois corações não brincam
Apenas esquecem por momentos
E depois voltam, retornam
Ao seu berço imponente
Sem o menor aviso

E por isso brindo diuturnamente
Com meus pressentimentos
Que não falham
Apenas erram alvos, talvez
Erros atrozes, quem sabe
Induzidos pela vida.

... Antes não houvessem esses amanhãs.


Renato Baptista - Direitos Reservados

Nenhum comentário: