15 dezembro 2007

Cabelos ao Vento



Cabelos ao Vento

Vem a brisa
Em noite quente de verão
Lua branca anuncia um encontro
Flui energia que corta o ar
Incendeiam-se corações
Sem que se saiba, sem nada
Sem premeditação
Só um cheiro doce no ar
Perfume guardado nas lembranças
Carinho suave recolhido
Amor que se tornou saudade
E a brisa ganha força
Espíritos dançam à volta
E a magia se forma
Se transforma
Faz da saudade ferina
Um encontro marcado
Determinado, escrito nas estrelas
Foi como um abraço
Um beijo molhado
Um toque de paixão
Que sacudiu os enganos
E aquele rosto lindo olhou para o meu
Mãos me tocaram e me afagaram
Contaram-me histórias
E me cantaram segredos
Falaram de amor distante
Como uma dançarina que dança no escuro
E cabelos lindos lamberam meu rosto
E boca e olhos e seios belos
Encantaram minha noite
E se fizeram meus por instantes
Presente que veio do céu
Trazido por mãos de anjos
Que bateram suas asas por mim
Naquele breve instante
E agitaram o ar
Que tornou-se vento
Que entrando pela minha janela
Trouxeram-me, pela mão, você
Minha doce menina
Que brilha e resplandece
Com seu sorriso perfeito
E seus braços abertos me envolveram
Suas mãos lindas brincaram
Pintando um quadro
De colorido vibrante
Nele, uma mulher
Correndo pela praia
Com os cabelos ao vento.


Renato Baptista

Direitos Reservados

Nenhum comentário: