27 dezembro 2007

Jeito de Amar



Jeito de Amar

Eu te amo
De um amor assim
Malvado
Danado
Encorpado
E te pego de jeito
Com meu beijo molhado
Com meu corpo suado
De te amar desesperado
E assim te amo
Com esse amor calejado
Até desajeitado
Quem sabe, adoidado
Mas um amor amado
Pirado
Exagerado
Consagrado
Amor estrela
Amor dourado
Extrapolado
Sentido mesmo
No fundo da minha alma
De tudo que é jeito
Com ou sem defeito
Amor satisfeito
Amor perfeito
Desnorteado
Aprumado
Amor maior que tudo
Amor arte.

Renato Baptista

Direitos Reservados

Um comentário:

Poemas e Cotidiano disse...

M A R A V I L H O S O meu querido mano....
Figura, poema, sentimento.
Beijos
MARY