07 dezembro 2007

Poema para um Amor



Primeira estrofe do “Soneto da Véspera”
Vinicius de Moraes

“Quando chegares e eu te vir chorando
De tanto esperar, que te direi?
E da angústia de amar-te, te esperando
Reencontrada, como te amarei?”

Poema Para um Amor

E dentre tuas tantas lágrimas
Uma escolherei...
Enxugarei todas as outras
Uma a uma
Levando com elas
Todas as tuas tristezas
Mas aquela uma eu guardarei
Em clausura no meu coração
Para que eu sempre me lembre
Que um dia tu chorastes por paixão
E a usarei se for o caso
Se um dia você me disser adeus
Porque as minhas, já as gastei todas
Pranteando as tuas longas ausências
E te direi depois
Que te trouxer de volta
O teu amor maior
Que em mim tu sempre vivestes
E beijarei molhado
Teus beijos, tua carne, tuas mãos
E te entregarei aos poucos
O que por direito é teu
E te amarei por completo
Sem angústias
Sem mais nenhuma espera sofrida
Correndo contra o tempo
Que já bandido anuncia
O inicio de mais uma despedida.


Renato Baptista

Direitos Reservados

Nenhum comentário: