31 janeiro 2008

Disfarce / Por Mais Lágrimas - Dueto com Mary Fioratti



DISFARCE

Lágrima que teima
em equilibrar-se nos olhos
faz acrobacias
voltando para sua origem
E quando a garganta
engole seco
e o coração
se confrange em um espasmo
ela volta
inundando a íris
e segura-se forte
impagável e absoluta
aos olhos invisíveis
do mundo
Lágrima que teima
em ser mostrada
emoção que reluta
a ser exposta
palavras quase escritas
mas apagadas
E a lágrima
que teima tremulante
insegura
dolorida
fica esperando
que essa dor passe
mas num descuido
inocente
tropeça em meu soluço
e rola
na minha face

Mary Fioratti


Por Mais Lágrimas

Lágrima tremulante
Que veste a íris
E reveste a tristeza
Lágrima congela-se
Realiza o disfarce
Lágrima bandida
Que canta a tristeza
Que os ventos trazem
E o sol amanhece
Em mais uma amanhã
Tão pedido em oração
E a lágrima aquecida, rola
Lavando o rosto
Trôpega, tonta
Desviando dos soluços engolidos

Meu disfarce está concluído...

Renato Baptista
Direitos Reservados

Um comentário:

Poemas e Cotidiano disse...

Mano,
Obrigada por me dar a HONRA de participar com voce de um dueto, e ainda ser publicado em seu Blog.
Nossos estilos de poesia se aproximam bastante, nao eh mesmo?
Dois apaixonados.
Um beijo carinhoso, obrigada por existir.
MARY