24 janeiro 2008

Um Castelo Chamado Saudade



Um Castelo Chamado Saudade

Disputa insana
Entre o querer e o estar
Brilhos da alma
Cintilam ao redor
E na esperança cândida
Os sonhos coloridos vivem
Tremula a vontade do amanhã
Nascem sensações na solidão
Recobertas de amor
Transbordando de paixão
Embebidas de perfume
E arranhadas pela distância
E a vida se torna espera plural
Inconstante na essência
Teme-se a hora que virá
Pois ela pode apenas continuar
Inflada de querer
Anunciando solenemente
Que o estar continuará
Guardado pela esperança
Construindo no ar
Um castelo chamado saudade.



Renato Baptista
Direitos Reservados

Nenhum comentário: