24 janeiro 2008

Uma Viagem


Uma Viagem

Pântano, sigo...
Mata fechada, cerrada
Escuridão, cipós
À frente paredão íngreme
Pedra lisa, escorregadia
Escalo rumo ao céu
Além do topo
Areia movediça, armadilha
Logo mais o abismo
Olho para baixo, profundo
E eu me atiro, vôo caindo
Acordo com a água
Vestindo o meu corpo
Mergulhei
Nado... Região abissal
Pulmões explodindo
Acho o ar que me alimenta
Toco a campainha
Meu prêmio é o seu beijo
... Como você mora longe!



Renato Baptista


Direitos Reservados

Nenhum comentário: