03 agosto 2008

Hora de Envelhecer - Silvandira Camargo Pereira



Hora de Envelhecer

No imenso mar revolto da existência,
Colhendo uns poucos sonhos entre abrolhos,
Surge a esperança em sua divina essência
Para nos afastar dentre escolhos.

Sussurrando promessas com eloqüência,
Mas a bailar qual brisa sobre folhos,
Airosa sombra de magnificência
Vem, sorri, dança e foge aos nossos olhos.

Amor? Talvez espectro dum querer
Num sendeiro de curvas estonteantes
Onde tentamos os sonhos reter.

Ansiosos e a lutar para vencer,
Chegamos sorridentes, triunfantes
Porém... Já na hora de envelhecer!


Silvandira Camargo Pereira (In Memorian)

Todos os Direitos Reservados

Nenhum comentário: