04 setembro 2008

Beijo Doce



Beijo Doce

Na busca do encontro
Abraço o desencontro
Foge magia plena
Sem dar trégua
E emoção transborda
Encharcando o corpo
Levando a alma embora
Destemperando a energia
Que o meu peito carrega
E nas sombras da noite
Serena madrugada fria
Converso com a sua ausência
Palavras trêmulas agonizam
Embebidas de lágrimas
Já não tão transparentes
Que rolam e rolam e rolam
Pelo rosto desfigurado
Pela saudade marcante
Desconsertante sensação
Já tão esmiuçada, pensada
Tanto gritada a plenos pulmões
Que nem mais respiram
Pela falta do seu perfume
Ah! Vida que se esvai
Vida que foi pelos caminhos afora
Mas deixou seu amor
Correndo pelas veias
Como sangue moreno
...A cor do meu amor.

Falta ainda um beijo doce
Testemunha da paixão
Carinho d’alma.


Renato Baptista

Direitos Reservados

Nenhum comentário: