13 setembro 2008

Flashes



Flashes

Por um breve instante, como nenhum outro
Como um flash de luz fria contagiante
Vê-se o mundo do homem se dejasustar
E nem mesmo se sabe de onde
Se é do lugar onde o sol se esconde
Ou se é do espaço onde os pássaros não vão
Vem como avalanche terrível
Milhares de lágrimas cristalizadas
Soterrando esperanças tardias

O infinito se pronuncia firme
Deixa que sons gemidos e tristes ecoem
E os corações, ora em êxtase, se atropelam
Razão e emoção se misturam em convulsão
E homogêneas ditam o passar dos dias
Que se estreitam na mais forte agonia
E o climax do poente doente
Anuncia solene a noite do homem
Que por um breve instante, frio, sentiu-se vazio.

Ontem, hoje e amanhã são apenas flashes da vida
Que iluminam o grande amor que nasceu eterno.


Renato Baptista

Direitos Reservados

Nenhum comentário: