18 outubro 2008

Pérolas Lágrimas - Súplica


Pérolas Lágrimas - Súplica

Vem de encontro
À minha prece
Que pede desesperada
Por ti

Escute meu choro
Abrace minha alma
Beije meus lábios
Faça-me teu, só teu
Assim como pede
O teu desejo

E nesses caminhos
Traçados pela vida
Em que as nuvens da saudade
Pairam baixas sem temor
Tropeço com meus passos soltos
Nas entrelinhas que contam
Da insegurança incontida
No espelho brilhante do horizonte

E eu rezo
Oro por ti
Para ti

Peço a Deus
Pela tua alegria
Rezo por mim

E meus altos e baixos
Ciúme intrínseco
Que vagueia sem destino
Entre os meus pensamentos
Descortinam meu jeito insano
De tanto precisar te amar

E eu amo, sofro
Sofro e amo
Amo amar
E odeio sofrer

E te atormento
Sem intenção
Entorto teu sorriso
Te arranco lágrimas
Que cultuo sem prazer

Pérolas lágrimas
Pérolas brancas
Pérolas negras
Pérolas pérolas
Pérolas que escorrem
Molhando a tua face
Afogando teus lábios
Que não querem
Me dizer adeus
Porque são pérolas

Vem menina
De encontro
À minha prece
Escute menina
Meu grito oco
Que te implora
Implora
Implora
E... Implora

Entenda então
O meu jeito
Não faça desfeita
E nem converse baixinho
Pule, grite, bata... Palmas
E então pule, grite...

Seque meu pranto
Junte-se a mim
E me conte desse teu amor
Abra-te em flor
Orquídea selvagem
Minha miragem
E exale teu perfume
Enlouquecedor
Meu cheiro de amor

Beije meu beijo então
Menina...
Menina encanto
Anjo do céu
Menina
Minha menina
Meu doce presente
Menina
Minha menina
Meu amor.

Renato Baptista
Direitos Reservados

Nenhum comentário: