07 novembro 2008

Ecos - Poetrix


2 comentários:

Anônimo disse...

Essa Saudade Tamanha...
Quando aporta sempre me traz aos versos teus, nessa tua Poesia sem dimensão... Tão maravilhosa o é, Padrinho!!!
Beijo grande no teu coração, Amigo meu!!!
Iza

Ana Lucia Sorrentino Gar� disse...

Renato: Olá! Você esteve no meu blog já há um bom tempo, e só agora estou retribuindo sua visita. Coisas dessa vida paulistana... rsrs... Mas, sempre é tempo! Adorei! Já passei também pelo seu site. E adorei também isso que vc chama de poetrix! Tanto com tão pouco... esse(seria esse ou essa?) , em especial, que fala sobre essa saudade que arranha, e que não caberia num beijo... muuuuuito bom, me tocou profundamente! Pode estar certo de que estarei aqui mais vezes, saboreando essas pitadas de sensualidade, que dão gosto à nossa vida!
Beeeijos!
Analú