09 janeiro 2009

Agonia



Agonia

Na madrugada fria
Adormeço os meus pensamentos
Enrolado em manto quente
Que guarda meu corpo
Seu corpo
Entro no mundo dos meus sonhos
Mais que depressa
Procurando por você
E vejo seu rosto lindo
No espaço
E beijo seus lábios
Meus sonhos são reais
Coloridos como você
E vivo de novo
No meu mundo paralelo
Nosso mundo
Mas de repente
Eu perco você...
Multidão ao redor
Ruas, casas que não reconheço
Lugares diferentes
Tudo se mistura
Eu me agito, acordo assustado
Sento na beira da minha cama
E escuto
Escuto o seu doce chamado
É sua voz me chamando
Gritando meu nome
Ecoando por todos os lados
Invadindo meus ouvidos
Num ritmo frenético
Olho no relógio
Acendo a luz
E vejo ao redor
Você não está por perto
Está em algum lugar distante
Acordada também do sonho
Que vivíamos juntos
Procurando por mim
Posso sentir o seu calor
Seu cheiro que ficou em mim
Escuto sua voz
As batidas do seu coração
Sua agonia...
E em desespero
Adormeço de novo... rápido
Cerrando os olhos bem apertados
Tentando buscar um outro sonho
No qual eu tenho certeza
Vou encontrar você...


Renato Baptista

Todos os Direitos Reservados

Um comentário:

Déborah disse...

Nem sei o que eu faria se alguem escrevesse um poema assim pra mim. Lindooooooooo, muito lindo mesmo.Só queria entender de onde um poeta tira essas coisas assim. Se eu sonho, eu acordo e esqueço.shuahsauhsaus
Demais mesmo
beijinhu.