23 janeiro 2009

Delicada


Delicada

Olho ao meu redor
Procuro em vão...
Sinto seu calor
E você não está
Sinto seu cheiro
E não a vejo
Sinto seu amor
E me desmancho em desejo
Procuro então sua voz
Que me chama
E não a escuto
Procuro seu doce
E meu gosto empalidece
Olho para dentro do meu coração
E a vejo inteira
Tão perto
Tão mulher para mim
Tão delicada
Afagando meu peito por dentro
Beijando minha alma
E se perpetuando minha.

Seu sorriso e seu olhar me cativam, me entorpecem

Delicadamente...


Renato Baptista

Direitos Reservados

Um comentário:

Retalhos de Amor disse...

N'alma o amor permanece, intacto às tempestades da vida... Florescendo assim: em versos saudades, lembranças que o fazem eterno, dentro do coração!!!
Belíssimo sempre, meu Amigo!!!
Prazer imenso te ler!!! Iza