31 janeiro 2009

Pássaro Louco - O Poeta louco


Pássaro Louco

Corre
Corre
Corre
Explode
A veia
Escorre
Escorre
Sangue
Amante
Ferida
Aberta
Satisfaz
Dor querida
Faz esquecer

Borbulha
À mingua
Líquido errante
Tudo se desfaz
Evapora
Se decompõe
Transmuta
Se perde
Se esquece
Se esvai.

Como um pássaro louco que morre em pleno vôo... e cai.

O Poeta Louco

Este também pode ser copiado, não importa mesmo...

2 comentários:

Luiza De Marillac disse...

O poema toma forma de pássaro e se encaminha para os céus dos versos do Renato, alegrando que o lê, entusiasmando quem o sente... Lindíssimo poema, amigo Renato, abraços da Luiza

Retalhos de Amor disse...

Importa sim!!! Pois é belo, alforriado, vento... E nada é mais liberto!!!
Momento inesquecível para quem o sente!!! Iza