31 janeiro 2009

Procela Selvagem - Iza Klipel



Iza Klipel é minha afilhada poética. Uma Mestra na arte da poesia.
Um raro prazer ler um dos seus escritos e o poema abaixo exprime
um desses momentos.

Procela Selvagem


Quando o horizonte te parecer deserto
Nada! Nem ninguém te preencher... Não
Importando se uma multidão por perto
Murcho sol, ermo olhar... Rumo incerto!

E o teu coração desaprender o sorriso
Do peito soluços romperem a barragem
Teu mundo cabisbaixo esmolando uma luz
No teu interior... Procela selvagem!

Morrido de estrelas, de repente, o céu
Chover desconsolo inundando o espírito! O luar
Erradio esconder-se... N’um negro e triste véu!

Ainda... Sobre tua cabeça o azul se extinguir
De nuvens repleta a noite existir! Talvez, neste
Momento saberás, de verdade o que é saudade...

O quanto dói sobreviver deserta de ti
.................................... Meu Amor!

By Iza
20/12/2008
Direitos Reservados
http://retalhosdeamor.blogspot.com

3 comentários:

Renato Baptista disse...

Afilhada...

Teu lirismo extrapola e cala a alma.Desenrola-se em versos história ferida.
E para o deleite, o GRAN FINALE:
-O quanto dói sobreviver deserta(o) de ti
.................................... Meu Amor!

...este amortece o coração embebido da mais longa das esperas.

Um beijo* e obrigado pela honra de tê-la aqui minha amiga.

Renato Baptista

Luiza De Marillac Bessa Luna Michel disse...

Amigo Renato,

A Iza é daquelas amigas poetas, que ficam tatuadas em nossos corações, tamanha beleza d'alma e generosidade contida em sua personalidade!!! Este poema é mais uma de suas obras primas, contidas no blog Retalhos de Amor, que também está imperdível. Parabéns aos dois poetas amigos, beijos da Luiza.

Retalhos de Amor disse...

Padrinho... BRIGADUUUUUUUU!!!!!!!!
Por tudo e tanto... Palavras pequenas, viu!!!
Beijooooooooooo... Do tamanho da nossa Amizade, meu Sempre Amigo!!!
Iza