10 março 2009

Desajustada



Desajustada

Antes era assim
Espremido nas dobras do passado
Permanecia intocável o segredo
Devaneios na face oculta da lua
Sem medo e sem recusas
Desenrolava-se a alegria
E no vai e vem dos dias
Os brindes à volúpia tilintavam
E fazia-se pleno cada instante
Num borbulhar frisante
E os toques desajeitados brincavam
Sem a satisfação pretendida

Assim, um dia, a vida virou dia
No peito o desejo ardia
E num impulso sem limites
Flor de janeiro brotou
Criou raízes profundas
E agarrou-se à verdade do destino
Ferina e doce sensação tomou conta
O ar se fez colorido e perfumado
E os brindes borbulhantes foram esquecidos
Embora continuassem vivos e guardados
Esperando que fossem acordados
Águas foram passando
Levando os instantes, lavando as almas
Até que noite se fez no mundo
E a vida virou agonia
Corações explodiram
Perdeu-se a noção, a razão
Como se a semente do passado brotasse
A lua mudou de fase, não era mais cheia
Fez-se presente a face oculta
E com divina descompostura
Pediu de volta os seus segredos
Respirou o eterno-retorno
E abriu de novo os caminhos enfeitiçados

Faz-se presente a ingratidão
Faz-se loucura sem ressentimentos
Como se o amor fosse um jogo
Jogo onde não há vencedor
E os brilhos cintilam a cada instante
A cada investida calculada
Coisa já calculada
Abre-se a guarda e tudo é permitido
Joga-se aos quatros ventos que vivem
A ilusão de nova vida
E assim raios que espreitavam
Virão como raios valentes
E sem piedade e nem nada
Construirão novos segredos
Virarão os olhos cristalizados
Beberão vinho na pele
E depois partirão sorrindo.

Como a lua nua, ávida por segredos, pediu...


Renato Baptista

Direitos Reservados

3 comentários:

Retalhos de Amor disse...

Nos vaivéns da vida, vezes a lua
se turva, entre nuvens se esconde!!!
Mais um belíssimo Poema, Padrinho...
Inda que meio triste... Encanta!!!
Beijo no coração, meu Amigo!!!
Iza

Anônimo disse...

Meu Irmão-Camarada...

esse foi o "Desajuste" mais "ajustado" e belo que já vi/li! E, assim mesmo, tropel e passo, "beberão na pele" (coisa mais Linda!!!),se partirão sorrindo, é que terão sorvido toda a poesia em goles de letras-cristais para uma tiara de diamentes em versos. Amei!
Beijão de Luz.
Veronica de Nazareth-Noic@

Renato Baptista disse...

Afilhada e Veronica... Um beijo pelo apreço e pelas interpretações.
Existem verdades que se misturam aos devaneios... assim como tristezas que invadem alegrias e turvam a existência... do poema.
Obrigado pelo carinho.
Renato Baptista