30 março 2009

Lua que se Vai...



Lua que se Vai...

Lua que se foi com insensível adeus
Lua que se esconde no céu, na vida
São sem sentido seus sentidos anunciados
Que como vingadores se descontrolam

E vai sem medo, esquecendo de tudo
Vagando pelo impensado sem luto
Desvirtuando os sentimentos puros
E deixando seu espaço jogado ao tempo

Triste risco sem nenhum tempero
Jogar perdendo sem recusa
Apostando no que virá um dia
Sem saber que o hoje é o bálsamo

E enquanto a lua voar longe
Planetas solitários a atrairão
Jogarão seu magnetismo ardiloso
E a lua nunca mais será a mesma

Novas voltas dará sombria
Na sua trajetória satélite
Beijos do céu tirarão seu brilho
E seu encantamento não será o mesmo

Lua nua que muda
Lua crua que permite
Lua minha, lua sua
Lua perversa como mulher

Mas a atração paixão a conduz
Pelo espaço infinito e negro
Seu percurso mudará um dia
Acompanhando a curva do universo

E quando ela voltar ao porto seguro
Descontrolada e maltratada
Enganada pela multidão de planetas
Tentará cumprir seu destino

Mas depois de adeus acelerado
Triste, rude e doentio
Precisará de muita força
Para mostrar seu rosto rosado

E nesse voltar desencantado
Terá guardado na sua face oculta
Mil segredos somados aos tantos
E mesmo assim será recebida com amor.

Por tudo o que foi nesta e em outras vidas.


Renato Baptista

Direitos Reservados

5 comentários:

Lara disse...

Meu caro Poeta. Que tanta tristeza invade essa tela desse jeito. Nossa, fiquei paralisada agora. Logo tu? Se te desprezam, olhe do lado. Garanto que tem quem quer..hasuahsuashusa.
Tah precisando de colinho , né não?
Beijoka da sua amiga Lara.

Renato Baptista disse...

Ô Dona Lara...perdeu a mão é?rsrsr...Comente a poesia oowww. Vc sabe que não olho para lado algum, só para a frente. E esse papo de colinho você fala pro seu 1,90 de noivo Louco aí...rsrsr... Tô fora. esse cara é bravo e grande demais pra mim.
Mande abraço grande pra ele e um beijo para você.
Obrigado pela visita minha amiga.
Renato Baptista

Retalhos de Amor disse...

"Por tudo que foi nesta e em outras
vidas"
Porque o Amor transcende, vai além
deste nosso ser morredouro... Sei
os caminhos deste sentimento, que vivo... Único universo onde a vida
verdadeira é possível... Sem ele,
fogem-nos as estrelas todas e a
lua deixa de estar!!!
Lindo, Padrinho... Meio triste também, viu!!!
Beijo carinhoso no coração, viu!!!
Iza

Veronica de Nazareth-Noic@ disse...

Amigo-Camarada...

se assim é com a lua, é com mulheres/homens, todos os seres capazes dos sentimentos profundos. Até por isso, essa transcendência, que dá a certeza de que o que realmente foi, pode dar voltas, mas sempre será...inteiramente. Quanto a trajetórias"pessoais",indiscutíveis"voltas" necessárias à alma de todos nós. E tu, como sempre,retratando em belíssimos versos. Bjs
Veronica-Noic@

Renato Baptista disse...

Pois é Veronica, minha amiga Poeta...
Quem sabe os recônditos do coração onde ficam e o quanto podem guardar de amor identifica o poema como vc fez.
Aconteça o que for... o que é verdadeiro e faz doer, não morre nunca....Provações da alma, talvez... que poemas escondem... mas não de todo mundo....
Beijo* e obrigado pelo comentário mais do que pertinente.
Renato Baptista