25 março 2009

Por Um Momento...



Por Um Momento...

Dobra do tempo
Se abriu no espaço
Renasci por um momento
Sentindo ar nos pulmões
De tão grávido
Que estava de mim
Fazia tanto tempo
Eu precisava respirar
Chorar anunciando vida
Quando meu amor me chamou
E sorriu de desespero
Falou que tudo é para sempre
Soltou magias
Jurou paixão sem fronteiras
Me beijou de novo, sem lábios
E nem sei se já partiu
Porque é assim
Porque na verdade
Nada é para sempre
E tudo é impossível
E o tempo e o espaço
Permanecem em mim
A vida, não sei
Ela apenas permanece
Por um momento...


Renato Baptista

Direitos Reservados

5 comentários:

Veronica de Nazareth-Noic@ disse...

Irmão-Camarada Querido...

e eu, "Por um Momento", pensei que tivesse errado de blog e retornado ao meu...rsrsrs, tamanha a "semelhança" do sentir, não dos versos, que os teus são únicos. Assim, "Por um Momento", também abri a porta d'alma, espiei na fresta das "dobras do tempo"(tb já usei essa maravilha poética um dia)e continuou a incerteza se ainda estava lá, se já tinha ido embora, se voltaria...outra vez igual:como tu, conclui que nada é para sempre ou definitivo -o que já "aplico na vida diária".Uma Linda verdade e ainda poetada maravilhosamente, este teu. Amei, amigo!
Obrigada por todo apoio e ajuda ao "parto do meu bebê blog".
Beijo de Luz
Veronica de Nazareth-Noic@

Retalhos de Amor disse...

Por um momento!!! Inda que por um
momento... Vale o tudo!!!
Nas voltas da vida, encontros e
reencontros fulgentes!!!
Quão doce estar no amor... mesmo
por um instante!!!
Beijos Padrinho...
No coração!!!
Iza

Veronica de Nazareth-Noic@ disse...

Camarada...

impossível não reler...não entrar fundo numa reflexão...e não desejar postar outro comentts, embora não existam palavras que possam traduzir toda a emoção e os "caminhos" aos quais esta tua poesia Linda nos remete...
Então, não digo mais nada...rsrsrs...apenas releio e "viajo nos meus próprios tempos"...
Meu Beijo de Luz, de hoje, Amigo Amado.
Veronica-Noic@

Retalhos de Amor disse...

Vim reler... Sentir a amplitude
dos versos teus, Padrinho!!!
Beijos mais...
No coração!!!
Iza

Renato Baptista disse...

Veronica e Iza, Afilhada...Meu coração se faz alegre mesmo que frente à dureza de versos que traduzem pequenos momentos onde centelhas de vida se sobressaem. Tudo e nada entram em conflito e os instantes agonizam... enquanto há vida.
Beijossss* e obrigada pela visita e re-visita....isso significa que alguma coisa valeu eu ter escrito essa tentativa e poema.
Fiquem com Deus.