17 maio 2009

Amor em Gotas



Amor em Gotas


Amor em gotas
Flutuantes
Que bailam no tempo e no espaço
Amor borrasca, tempestade
Que dá medo
De tanto que grita na solidão
A chama da saudade
Tempestade encharca os olhos
Choro sem fim
Tato aguçado
Procurando no ar
Um pedaço da paixão éter
Que do dia até a noite
Evaporou e fugiu das mãos
Um suave e doce contento
Numa foto amarelada, guardada
A poeta dos versos de amor encontra
E no perfume de uma camisa se sustenta
Mas sempre e sempre termina
Morrendo de amor
Em seus versos repletos de ausência
Gotas transparentes escorrem
Dos olhos negros, mareados
São lágrimas amargas
De saudade permanente
Que caminham deixando rastros
No rosto contemplativo
Gotas... Pequenas gotas de um grande amor.


Renato Baptista

Direitos Reservados

2 comentários:

Clau Assi disse...

Olá, Renato,

Promessa cumprida prazerosamente. Muito bom estar aqui. Um espaço que exala poesia e cultura. Uma delícia.
PARABÉNS!!!
Voltarei sempre.

Beijos ternurentos
Clau Assi

Renato Baptista disse...

Clau minha amiga Poeta...

A sua presença e a do Théo aqui só enobrecem esse espaço.
Muito obrigado pelas palavras.
Abraços*