14 maio 2009

Doce



Viajando sem rumo
Transgredindo o espaço
Ferindo a nota musical
Que canta sem dó

Alma aflita
Roda o mundo
Vira o mundo
Come o mundo

Pele arrepia a pele
Desnorteio e razão
Os poros se fecham
Se espremem

Porque quero teu mel
Teu cheiro doce
Teu véu
Teu sorriso...

Renato Baptista

Direitos Reservados

Um comentário:

Wanderley Elian Lima disse...

tablussNada melhor que transgredir. Belo poema.
Um abraço