11 maio 2009

Em Chamas



Em Chamas

Por mais que o sol me queime
O corpo
Nessas andanças por essa vida
Calada
Por toda a chuva que me molha
O pensamento
Enquanto vai lavando o céu
O universo
Lavando a alma, levando a alma
Que grita
Por mais que a luz que viaja
Veloz
Trazendo-me o infinito secreto
Em transe
Por todas as esperanças vãs
E amanhãs
Que fulminam cada instante
Do meu eu
Pela serenidade perdida
Escondida
Fatalmente recolhida
Nos momentos
E por todos os instantes inquietos
Que conduzem minhas intempéries
Eu abro minha janela e berro
E procuro o ar sem cor que respiro
Aspiro energia e expiro paciência
Aguardando e procurando, sempre
Como um sobrevivente em chamas...


Renato Baptista

Direitos Reservados

6 comentários:

Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi Renato! Belo poema, com certeza vou aprender muito contigo.

Parabéns!

Abraços,

Furtado.

Wanderley Elian Lima disse...

OLá Renato, parabéns pelo poema feito com a alma.
Um abraço

Anônimo disse...

Renato amigo: seu poema "Em Chamas"
é uma beleza, e como disse o Wanderley, foi feito com alma e,
acrescento eu, com o coração.
Abraço do
Théo Drummond

Renato Baptista disse...

Furtado...

Imensamente grato pela honra da sua visita e comentário.
Abraços
Renato Baptista

Renato Baptista disse...

Olá Wanderley...

Agradeço sua interpretação... um prazer tê-lo aqui comigo na Academia.
Abraços
Renato

Renato Baptista disse...

Théo Drummond...
Vindo de você, meu Mestre, o elogio, fico extremamente feliz também....obrigado pela leitura e comentário meu amigo.
Abraço grande desse seu fã.
Renato Baptista