19 maio 2009

A Face Oculta



A Face Oculta

Como se a vida fosse noite
A cada segundo, todos os instantes
Como se o frio castigasse os corpos
E enrijecesse as almas
Noite escura sem estrelas
Sem música, sem nuvens
Sem esperança e sem lua
Lua que brindou os encontros
Tatuou no seu brilho o amor
Mesma lua ora ferida, sem semblante
Oculta e sem face
Lançando sombras sobre os amantes
Severa descompostura
Para desajustados errantes
Como se a vida se tornasse noite
Noite sem mistérios, sem segredos
Sem beijos e sem juras de amor
Sem cálice dourado e sem gemidos doces
Apenas uma noite eterna
Que não acorda, que não dorme.

Renato Baptista

Direitos Reservados

2 comentários:

L'(max) disse...

O meu irmãozão!!! Obra de arte como sempre...
Lindo parabéns
Grande Abraço
L'(Max)

Renato Baptista disse...

L'Max meu Bróder...
Mais uma vez agradeço a sua visita que para mim é tão importante.
Um abraço*