03 junho 2009

BRINDE


Brinde
Noite fria
que cala a alma
que espera um novo dia

Noite calma
coração frio
velas acesas

Sensação de falta
que sente as lágrimas
que nuvens carregaram

Comemoração solitária
brinde sem taças
beijos vazios

Muito frio
que cala
entristece

A voz não sai
o corpo treme
como naquele dia

Fala a poesia
que aquece
sem sentido.

Renato Baptista



2 comentários:

Retalhos de Amor disse...

Oi, Padrinho...
Andei por aqui tantas vezes
Senti cada verso... Imenso!!!
Mas o silêncio me tomava
E nele me fiz!!! Só queria dizer
que Amo Tua Poesia, meu Amigo!!!

Beijos...
No teu terno coração!!!
Iza

Veronica de Nazareth-Noic@ disse...

Novamente e sempre um belíssimo poetar teu. E eu, apenas faço emenda de:"fala a poesia, embora sem voz e só em letras, mas plena e com todo o sentido" de ser e se fazer...Amei! Bjs