19 junho 2009

Damasco

Damasco

Perfume cor de laranja

Saia rodada, justa

Sabor de apricot

Doce encanto

Amargo na língua

Vem e vai o carinho

Triste despedida

Esperança ferida

E que agora voa

Com os ventos que vão

E levam os cheiros

O mel do amor

O aprendiz dos beijos

Se esconde sem consolo

Amargura tenaz se anuncia

Porque para sempre é

O que nunca era para ser

E agora, inevitavelmente

Sempre será


Amor damasco

Doce no primeiro beijo

Amargo na despedida.


Renato Baptista

Um comentário:

Retalhos de Amor disse...

Pétalas colhi
No coração
Dos teus versos
Emoção que grita
Rios de sentimentos!!!

Saudades dos versos teus...
A diminui um tiquinho hoje!!!

Beijo, Padrinho...
No teu coração, Amigo meu!!!
Iza