18 julho 2009

Minha Cantiga - Inspirado em Vinícius de Moraes



Fragmento do Poema: “Cântico” de Vinicius de Moraes

Não, tu não és um sonho, és a existência
Tens carne, tens fadiga e tens pudor
No calmo peito teu. Tu és a estrela
Sem nome, és a morada, é a cantiga
Do amor, és luz, é lírio, namorada !
Tu és todo o esplendor, o último claustro
Da alegria sem fim, anjo ! Mendiga
Do triste verso meu...


Minha Cantiga

Nasceu e veio comigo
Tão doce enamorada
Canto então por meus caminhos
Tua luz brilhante
Luz que sai dos teus olhos
Quando me vês
Ternura dançante
Calor dos meus versos
Moça do peito sereno
De pele camurça
Teu beijo me eleva
Arranca-me do chão
Teu toque acaricia
Numa suave tentação
Que me desfaz em desejo
Tu não és sonho
És minha vida, meu palco
Divina musa dos versos meus.

Renato Baptista

Nenhum comentário: