08 setembro 2009

...Em Sendo Poesia



... Em sendo poesia

Poesia é assim
Canta amor
Fere a saudade
Expõe a alma

Poesia é assim
Deveria ser lida
Por quem de direito
E com os olhos abertos

Poesia é assim
Vai e volta
Como a vida
Eterno-retorno

Poesia é assim
Grita e esperneia
Sabe e não sabe
Entorta a cabeça

Poesia é assim
Cada um no seu canto
Guardando o espanto
Sem interferir, sem ferir

Poesia é assim
Um doce querer
Brilho do desejo
Um algo sem fim

Poesia é assim
Sem gracejos que cutucam
Sem bocejos de espera
Sem acenos obcenos

Poesia é como eu digo
Sem sombras
Sem arrojos do cio
Sem especulação

Poesia é poesia, em sendo poesia
Enquanto poetas brincam de ser
Traduzindo tentações imaginadas
Sem noção do tamanho do querer.

Renato Baptista
Direitos Reservados

3 comentários:

daufen bach. disse...

é meu amigo! poesia é bem assim mesmo.
obrigado pela visita em meu blogue e pelas palavras gentis também, é realmente uma honra ouvir de ti.

tu disse "poeminis" e eu vim conferir, ver como são. que maravilha né! eita poder de síntese filho da mãe que tu tem! eu achei perfeito, nao sei se consigo mas eu vou tentar sim. mas me diga, são dois versos apenas e ser vira o rabisqueiro em passar a idéia nesses dois pequenos versos?

(o engraçado é que parece fácil... ô engano!)

risos.

abraço a ti meu amigo!

POESIA CÁ E LÁ disse...

Renato, que lindo colocar poesia como expositora de almas uma das definições mais lindas pra essa que e a arte que nós amamos tanto, né???

Beijos ternurentos

Clau Assi

Rozélia Farias disse...

Parabéns pela criatividade Renato, seu blog é mesmo um 10!!!!
Amei tudo que você escreveu. Vou continuar visitando-o.
Bjs.

Rozélia.