03 novembro 2009


Não à Violência

Que se façam sentir as notícias
As que ofendem cada um de nós
E que andam soltas por aí
Caminhando pelas ruas
Escapando dos periódicos
E dilacerando os corações da sociedade
Violência por violência
Violência gratuita, às vezes
Violência protegida
Por mentes
E execradas por corações que sofrem
Um basta é preciso
Um não ao silêncio
Que esquece
Que não precisamos de um mundo melhor
Precisamos de pessoas melhores
Que com certeza absoluta
Construirão um mundo melhor.

Salvando nossas crianças, daremos a elas um amanhã de paz e prosperidade.
Crianças sadias, sem medo, com saúde, com educação, com escola e que tenham religião e amor é que poderão fazer das suas vidas e do mundo de amanhã algo digno.

Não à violência
Não ao descaso com a natureza humana
Não à destruição do mundo
Não às drogas
Porque assim, teremos um amanhã
Teremos vida
Teremos dignidade.

Renato Baptista

7 comentários:

Rosemildo Sales Furtado disse...

Bravo Renato! Gostaria se possível, que me permitisses fazer minhas, as tuas palávras.

Não à violência
Não ao descaso com a natureza humana
Não à destruição do mundo
Não às drogas

Não a "CORRUPÇÃO" para que sobrem verbas e sejam aplicadas em "OBRAS SOCIAIS".

Abraços e ótima quarta-feira com muita paz, saúde e felicidades.

Furtado.

Beta disse...

Olá Renato!
Lindo texto!
Parabéns e obrigada por seu elo forte!

Não entro muito no cantinho porque vivo numa roda viva!
Estou terminando a faculdade, em época de juntar material para a monografia, aí já viu né? Correria total!
Mas adorei o convite. Já escrevi muita poesia (herança de papai), mas parei. Então será um ótimo reencontro para mim.

Um enorme abraço!
Beta

Graça disse...

Renato,
somente agora pude visitá-lo. E o faço com o maior carinho deste mundo, que tenho por você!
Concordo nos três gêneros que não precisamos de um mundo melhor e sim de pessoas melhores! esse mundo é maravilhoso e é preciso mais amor por ele, é o que bastaria!
Beijos e fique com Deus.

Ira Buscacio disse...

Olá Renato,

Que belo gesto e palavras.

Nossas mazelas não são criadas pelo mundo, mas pelas pessoas que vivem nele.

Precisamos, urgentemente, de qualidade humana.

Fique com meu carinho

Silvana Nunes .'. disse...

Navegando sem ruma com a intenção de divulgar o meu blog, cheguei até você e gostei do que vi, tanto que pretendo voltar mais vezes. No momento estou impedida de fazer leituras muito extensas, pois a claridade da tela do computador está prejudicando um pouco a minha visão, devo tomar cuidado. Em breve resolverei esse problema. Bem, já que estou aqui aproveito para convidar a conhecer FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em http://www.silnunesprof.blogspot.com
Eu como professora e pesquisadora acredito num mundo melhor através do exercício da leitura e enauqnto eu existir, vou lutar para que os meus ideiais não se percam.
Se gostar da minha proposta, siga-me.
Por hoje fico por aqui, Espero nos tornarmos bons amigos.
Que a PAZ e o BEM te acompanhem sempre.
Saudações Florestais !

KrystalDiVerso disse...

Violência!... Tudo começa no verbo!... A palavra é linha de montagem, correia de transmissão e veículo de carga onde toda a violência viaja e sai quando e onde quer!... O condutor é sempre o ávido que no vento transporta ressonâncias pouco Admiráveis!... Violência... um abjecto negócio nada admirável!...
Não lutemos pela violência!... Deixemos que ela se destrua... porque há sempre um fim!


Escolha entre... beijos e abraços

Su disse...

Olá Renato,
Adoro seu blog, e se me permite vou colocar essa poesia e banner no meu blog, claro dando os devidos creditos. Se não concordar é só pedir que retiro, ok?
Abç
Su