08 dezembro 2009

Louca - Com pintura de guerra



Louca

Corre
Corre
Corre
Explode
A veia
Escorre
Escorre
Sangue
Amante
Ferida
Aberta
Satisfaz
Dor querida
Faz esquecer

Borbulha
À mingua
Líquido errante
Tudo se desfaz
Evapora
Se decompõe
Transmuta
Se perde
Se esquece
Se esvai

Vem vingança
Pintada de guerra
Corpo desnudo
Alma entregue
Sem temperança
Fazendo sangrar
Premeditada
Pensada
Levada
Pelo diabo
Loucura total
Descontrole
De mãos dadas
Com gente medíocre
Maledicência pura

Corre
Corre
Abraça
O nada
Beija
O nojo
Suspira
Acaricia
Ria e sorria
Para a praga
Jogue no lixo
A retidão
Exploda.


Como um pássaro louco que morre em pleno vôo... e cai.

Renato Baptista

2 comentários:

Maria Flor! disse...

Olá Renato,

Grata pela visita e pelos comentários.
Desculpe a demora de resposta, estava de férias.
Amei teu blog e tuas escritas.
Estarei por aqui te lendo e comentando.

Beijo Grande!

Maria Flor

miluzcintila disse...

Guerra interna...que vingança nenhuma pode deter; forte... e decidido!

bjs bjs bjs