27 fevereiro 2010

Com Gosto de Saudade

5 comentários:

Beatriz Prestes disse...

O amor é sempre assim.....vem introjetado de saudade.
Saudade que não passa, apenas dá tréguas apressadas.....vai ali, mas já volta. rs
Teu poema é como sempre magistral, trata com perfeição de todos os sentimentos consequentes desta saudade....que parece se equilibrar neste fino fio...
Mais que lindo.....um poema que foi fundo!
Beijo carinhoso
Bea

Renato Baptista disse...

Beatriz...

Fala-se de saudade aqui, acolá... é um tema que invade o coração, atravessa a alma e mesmo depois de eternizado em versos...não passa....rs

Beijos* e obrigado por estar aqui.

Márcia Vilarinho disse...

Restará sempre um fino fio de saudade...da infância...da vida em vários momentos...dos sonhos...dos amores...
Magistral, sem magistrais são os teus poemas.

Renato Baptista disse...

Márcia...

Obrigado amiga pela presença constante e pelo carinho deixado.

Abraços*

Renato Baptista

POEMAS TECIDOS disse...

Um lindo poema. Todo forte sentimento do poeta aí se encontra.

Abraços.