28 setembro 2010

Poeminis "Estrelas do Cinema" - Série Especial FASE 02

A sequência “POEMINIS ESTRELAS”, continua contando nesta Fase 02, um pouco da história do cinema através de homenagens a grandes atrizes.

Renato Baptista


“Escola do Amor” foi um dos seus melhores filmes – a atriz tornou-se símbolo sexual e marcou época. Deixou o cinema cedo e disse: - Paro para sair com elegância do mundo do cinema.

Estrelou “Os Pássaros” – 1963 – Uma estrela que foi escolhida por Alfred Hitchcock, o Rei do suspense..

“Amar é Sofrer” – 1953. Grace deixou o cinema precocemente e se tornou a Princesa de Mônaco.

“Quanto Mais Quente, Melhor” estrelado por um mito do cinema, um símbolo sexual que teve um final de vida trágico.

“Duas Mulheres” – 1961 – Venceu o Oscar em 1961. Uma das mais belas atrizes estrangeiras (não americana).

A atriz fez história no cinema com sua beleza e capacidade de atuação. Um dos seus filmes, “Era Uma Vez no Oeste”, marcou época dentro do gênero.

“As neves do Kilimanjaro” – 1952 - Para o cineasta Cecil B. DeMille, Ava era "A mulher mais linda do mundo". Nos Estúdios ela era definida como possuidora de um olhar de gata. Por isso o poeta Jean Cocteau definiu-a como o "mais belo animal do mundo".

A Um Passo da Eternidade – Filme onde foi mostrado o primeiro beijo do cinema – 1953. Um marco na história de Hollywood.

O ator Gregory Peck, par romântico de Audrey no filmeA Princesa e o Plebeu (Roman Holiday, 1953), foi quem a apresentou ao ator Mel Ferrer que depois de participar de uma peça com Hepburn, pediu-a em casamento.


Em breve a terceira e última fase dessa mostra, lembrando que as informações sobre as atrizes foram coletadas na Wikipédia.


Renato Baptista


23 setembro 2010

Entrega

Entrega

Mandei-te um sorriso
Um beijo, um gole de vinho
Foi em meio a meus versos
Naquela solitária entrelinha

Mandei-te um lindo segredo
Um abraço, flor sem espinho
Foi junto o meu coração
Meu amor e meu acarinho

Mandei-te um anel
De pedra água- marinha
Sussurrei minha paixão
No teu ouvido, bem baixinho

Mandei-te minha vida
Meus sonhos, meu ninho
Espero tua entrega, desejo
Teu seio em blusa de linho.

Renato Baptista

17 setembro 2010

Poeminis "Estrelas do Cinema" - Série Especial FASE 01

A sequência “POEMINIS ESTRELAS” conta um pouco da história do cinema através de homenagens a grandes atrizes.
A beleza das estrelas do cinema e suas obras inspiram os Poeminis que sempre expressam um pensamento da atriz, um personagem que ela interpretou ou um filme em que ela atuou e tenha sido um marco do cinema.

O filme Wings (Asas) de 1927 foi o primeiro a ganhar o Oscar de melhor filme.


The Racket (A Raquete) , gênero Policial – 1929 – tinha um roteiro que contava a história da corrupção policial.

2ª estrela a ganhar Oscar de Melhor Atriz, 1929, com o filme Coquette – Ficou conhecida como a “Namoradinha da América”.

Um dos filmes de maior sucesso da atriz é The Bishops Wife (Um anjo caiu do céu) – 1947

The Best Years of Our Lives(Os melhores anos das nossas vidas) – 1946 – A atriz lutou contra o nazismo ferrenhamente, a ponto de estar na lista negra de Hitler.


1. Além de Romance, um de seus maiores sucessos, estrelou vários filmes com Fred Astaire.

Em Gone With the Wind (E o Vento Levou) – Interpretou a doce Melanie – 1939. Épico considerado um dos melhores filmes de todos os tempos.

Dentre muitos filmes de sucesso, destaca-se “A Vida por um Fio” - 1948

A atriz interpretou, Joana D’Arc – 1948 , e Casablanca – 1942, um marco do cinema, dentre muitos filmes de sucesso.


14 setembro 2010

Fotografia do Amor que Sinto



Fotografia do Amor que Sinto

Escorre a paixão por entre os meus dedos que não consigo controlar
Como a saliva doce que trocamos durante esses seus beijos que me beijam
E que enfeitam a minha face enrubescida e entregue ao amor que não apenas sinto
Mas vivo... a cada segundo, a cada piscar de olhos a cada amanhecer dessa vida minha.

Caminho
E respiro
E sinto
E estendo
As mãos
Suadas
Lambuzadas
De paixão
Colorida
... azul
... vermelha
... amarela
Nem sei mais.

Cortina se abre
E desveste a janela
Aquela em que me debruço
Às vezes, para ver o mundo
Aquele lá embaixo, à toa, cinzento

Mas na parede há o quadro colorido
Com aquela tua fotografia colorida
Revelada poesia de paixão que declamo
Versos enquadrados e sublimes e doces
Que minha alma escreveu com amor.

O maior amor do mundo
Daqueles que não se vê
E que virou paixão
Ou paixão que virou amor
Nem sei... só sei
Que escorre pelos meus dedos
Que não consigo controlar
E te procuram
E te tocam
E te afagam
E te puxam
E te querem
Inteira
Cheia de beijos
Lambuzados
Amados
Queridos

Beijos que me beijam
E enfeitam a minha face
E me enlouquecem...

Assim o fim vira o começo
O verso o reverso
E poesia se funde
Conta história
Canta o amor, a paixão
Sem suspenses
Sem alegorias
Fazendo-me feliz

Porque o meu coração bate pelo teu a cada segundo... todo dia.

Renato Baptista

07 setembro 2010

03 setembro 2010