14 setembro 2010

Fotografia do Amor que Sinto



Fotografia do Amor que Sinto

Escorre a paixão por entre os meus dedos que não consigo controlar
Como a saliva doce que trocamos durante esses seus beijos que me beijam
E que enfeitam a minha face enrubescida e entregue ao amor que não apenas sinto
Mas vivo... a cada segundo, a cada piscar de olhos a cada amanhecer dessa vida minha.

Caminho
E respiro
E sinto
E estendo
As mãos
Suadas
Lambuzadas
De paixão
Colorida
... azul
... vermelha
... amarela
Nem sei mais.

Cortina se abre
E desveste a janela
Aquela em que me debruço
Às vezes, para ver o mundo
Aquele lá embaixo, à toa, cinzento

Mas na parede há o quadro colorido
Com aquela tua fotografia colorida
Revelada poesia de paixão que declamo
Versos enquadrados e sublimes e doces
Que minha alma escreveu com amor.

O maior amor do mundo
Daqueles que não se vê
E que virou paixão
Ou paixão que virou amor
Nem sei... só sei
Que escorre pelos meus dedos
Que não consigo controlar
E te procuram
E te tocam
E te afagam
E te puxam
E te querem
Inteira
Cheia de beijos
Lambuzados
Amados
Queridos

Beijos que me beijam
E enfeitam a minha face
E me enlouquecem...

Assim o fim vira o começo
O verso o reverso
E poesia se funde
Conta história
Canta o amor, a paixão
Sem suspenses
Sem alegorias
Fazendo-me feliz

Porque o meu coração bate pelo teu a cada segundo... todo dia.

Renato Baptista

6 comentários:

*Simone Fernandes* disse...

Boa noite amigo,

Linda essa sua poesia... amei a forma de "fotografia" deste amor... maravilhosa inspiração, parabéns!
Bjos,
*Simone*

Beatriz Prestes disse...

Este poema, acontece a cada verso, com a mais sublime, mas tbém ardente inspiração.
É um desabafar clamoroso em versos!
Há um lirismo e um anseio que não deixa o coração normalizar!
Um dos poemas mais lindos que já li!!! Dos mais envolventes e apaixonados!
Poesia coroada com uma imagem que parece despontar de algum horizonte cheio de esperanças!
MARAVILHOSO!!
Beijo
Bea

Silviah Carvalho disse...

Lindo! dá pra sentir a forças do versos deste amor.
bjs.

Helena Castelli disse...

Envelhece-se mais devagar ao anoitecer. A morte enrosca-se, faz uma trégua até que de novo amanheça. Sou um homem nocturno, a luz do dia aumenta o conhecimento da minha escassa eternidade.
- Malcom Lowry -


Deixo-te a ternura de um abraço.

Valéria disse...

Ah....esta poesia fotografou todo meu ser...

Beki Bassan disse...

Olá Renato, estou lendo agora seu convite e entrei para ver a Academia da Poesia. Confesso que é
muito difícil dizer qual eu gostei mais pois todos falam a nossa alma.
Cada um mais bonito que o outro. Sua clareza em interpretar através de versos os poeminis nos deixa imobilizado com tanta candura e cheio de esperanças.
Seu lirismo clama nosso coração.
É lindo demais.
Vou retornar para ler cada um com calma pois amei tudo que vi.
Parabéns poeta!
Abraços,
Beki