25 novembro 2010

Viajantes do Tempo


Viajantes do Tempo

Trespasso seu ombro
Com minha flecha tépida
Pura magia indolor
Porque quero saber
Do que você é feita
Se só de paixão perfeita
Ou do mais puro amor.

Coisa de cupido isso, talvez...

E você me puxa de repente
E me abraça com as suas pernas
Apertando-me contra o seu céu
Agora, cheio de estrelas brilhantes
Traduzindo o que era muito desejo
Em volúpia certeira e incontida.

E sinto a chuva de cristais aguçados
Que saboreio... cada gota, cada pedaço
E o seu céu se abre como um templo
Como um dia o mar se abriu
E caminhei suave, indo e vindo
Sem saber direito o rumo, quem sabe¿
Mas cumprindo o destino do amor
Escrito, tatuado nas nossas veias.

E assim eu fiquei, ficamos
Como viajantes do tempo sem fim
Sem horizontes por momentos
Apenas sentindo cada segundo
Colecionando sensações divinas.

E o que restou fomos nós dois
Eu e você, os viajantes do tempo
Passageiros do amor eterno
Jogados num canto, abraçados
Molhados de suor e ao sabor do vento
... sem cicatrizes.

Renato Baptista

11 comentários:

Mila Lopes disse...

Belo, muito belo...um poema incrível Renato!
Parabéns!

Bjs

Mila

Ingrid disse...

Renato,
imagem lindamente poética para algo sublime e delicioso!
letras que se fundem em palavras com um brilho de sensações únicas..
Beijo.

Beatriz Prestes disse...

No tempo está escrita uma longa história...
Nas linhas dos versos o exato caminhar, e suas pegadas, gravadas para sempre.
Momentos experimentados e jamais esquecidos.
Lindo poema de amor! Lindo poema que fala de forma muito preciosa de longinquos detalhes.
Mais um tocante, emocionante que faz parte dos mais lindos que já li.

Beatriz Prestes

Sonhadora disse...

Renato

Simplesmente divino este poema...sensualidade à flor da pele, adorei.

Deixo um beijinho
Sonhadora

izildinha disse...

Perfeita sintonia entre o prazer carnal e o amor puro que exibem paralelas em palvras muito bem colocadas onde a poesia perpassa do começo ao fi...O ápice uma viagem,os amantes os viajantes de uma saudade que ficou.
Parabéns poeta!

*Simone Fernandes* disse...

Que poema lindo meu amigo. Adorei!!! Parabéns pela maravilhosa inspiração deste amor!
Bjos,
*Simone*

Sandra Botelho disse...

Simplesmente sem palavras...
Lindo demais, me perdi, viajei, e agora releio e releio...
Parabens .
Amigo me mande o link da Casa da Poesia e será uma honra pra mim.
Aceito e aceito.
Bjos achocolatados

José María Souza Costa disse...

Renato muito bom o seu blog. Belissimo, avassalador o poema.Entendo que bom serria, se as pessoas percebessem que elas são feitas de carne, ossos, sangue e SENTIMENTOS. Estou cá, lhe convidando a visitar o meu blog, e se possivel seguirmos juntos por eles.Estarei grato esperando por vc, lá
Abraços de verdade

Márcia Vilarinho disse...

Descrição poética que revela o potencial imenso do amor. Verdadeiramente lindo e lindamente verdadeiro. Abraços...amigo.

Anna disse...

Renato, bom dia!

Poema sensualissimo, abrasador, encantador, como todos!...
Sigo-o!
Tenha um dia de inspiração e muita Paz!
Beijos de luz em seu coração!

Sandra Helena Queiróz Silva disse...

O amor em sintonia, no Universo imenso e inquietante, pulsando nas veias dos viajantes do tempo.
Beijos de luz!