14 fevereiro 2011

Desamor


Desamor

Assistir a dor insana
Que fere o drama
De músculos incompatíveis
Que soluçam e gritam
Fibrosados e travados
Que se contraíram e ficaram
Sem o prazer da distensão
E que não se entendem
Nem aceitam analgesia
Deixam de se submeter
Esvaziam a vontade
Da paixão do movimento
E criam nódulos duros
Sem tradução, sem amor.

Essa é doença fatal
De quem nunca amou!

Renato Baptista

12 fevereiro 2011