02 outubro 2011

Um Certo Querer...

Olhando para o chão
Sem euforia
Com você me amando
E um grito surdo
Enroscado na garganta.
Idéias brilham
E se contorcem
Voam até você
E voltam beijadas
Devidamente
Completamente apaixonadas
Totalmente enfeitiçadas
E se misturam no meu coração
Que bate e pulsa e trepida
Tanto, mas tanto
Que faz nascer asas na alma
E dá vontade de viver mais
Mais uma vida
Só porque você existe.

Assim como um certo querer...

Renato Baptista

Um comentário:

Beatriz Prestes disse...

Um certo querer...
Um querer que é certo!
Poesia que conta coisas, fala do destino, de tantas vidas já vividas, do amor reafirmado e renascido.
Lindo...como só tua poesia é capaz de ser!
Beijo
Bea