10 fevereiro 2012

Chorar na Chuva


I
N
T
R
O
S
P
E
C
Ç
Ã
O

Dentro de mim
Mora a saudade

Das palavras
Carinhosas
Dos carinhos
Impensados
Dos carinhos
Sensuais
Dos beijos
Na boca
Oca
Dos olhares
Risonhos
Que escondem
Segredos
Daqueles
Guardados
Que não se contam
Dos abraços molhados
Do cigarro na janela
Cuja fumaça
Abraça o mundo
Do toque sutil
Com gosto
De café com leite
Pão e manteiga.

Fica a sensação
A lembrança
Do amor bem feito
Incontido
E que guarda
A entrega
Da paixão
Acelerada
Guardada
inesquecível.

É só mais um dia
Porque amanhã
Bem... amanhã
Acordo o dia
Sem pensar na noite
Que virá depois
Em que os cheiros de amor
Se misturarão aos sabores
Do seu corpo macio e doce
Fica como sendo
Surpresa esperada.

E fico pensando
Arquitetando o desejo
Sofrendo a ausência
Do que sustenta
Minha alma, minha vida
Porque só existe você
E mais ninguém
Capaz de me fazer sorrir
De me fazer viver
Cada momento vão
Em que lágrimas escorrem
De tanta saudade
De sofrimento
De alegria
De paixão
De espera
E isso é coisa minha
Que ninguém vê
Ninguém sente
Só você sabe
É o mesmo que chorar
Na chuva.

3 comentários:

SolBarreto disse...

Nossa que lindo!!
Adorei

Beatriz Prestes disse...

Na introspecção algo acontece na alma!! Poesia emerge, dizendo de todo sentimento aflito e incontido!
Lindíssimo
beijo
Bea

Antonio Rubilar B. Valente disse...

Olá meu amigo Renato!
Vim lhe visitar, deixar meu abraço e colocar meu bloco na rua. E dizer-lhe que sua "Escola" é tudo de bom.Nota 10 em todos os quesitos, 10 em "harmonia", 10 em "alegorias", 10 em "adereços" e principalmente 10 pelo "conjunto". Que sua "evolução" nunca se dissipe e que você seja sempre o campeão desse samba-enredo chamado "Vida".Nessa folia, sou arlequim de sua paz e de sua alegria em viver.Conte comigo para convencer os jurados, de que sua "Escola"(blog) é NOTA DEZ em tudo.Bom Descanso!!! Rubi Valente.
www.valentebrasil.blogspot.com