04 julho 2012

Sonhos Inacabados



Sonhos Inacabados

Hoje acordei de sobressalto
Passei a mão nos cabelos
E penteei meus sonhos
Olhos cheios de areia
Pediam um café
E meu bocejo me levantou
Meus chinelos estavam longe
Lá... fui descalço mesmo
A barba por fazer coçava meu rosto
Quando encostava na gola suada
Da camiseta amassada como meu rosto
Acordei o dia e contra mim
Estava o sol que insistia
Em me bagunçar o olhar lacrimejante
Preparei minha xícara
Foi difícil
Porque ela se escondia de mim
Aos goles eu a venci
E agora eu já dava passos conscientes
Enquanto minha cama ainda dormia
Desafiadoramente, como sempre
Adorava me mostrar esse contraste
Para que eu me sentisse culpado
Por não abraçá-la mais
Dei bom dia ao dia
Escovei os dentes
E banhei meu corpo, agora nu
Água escorrendo aos prantos
Lavava meus sonhos inacabados.

Comecei a viver mais um pedacinho da vida...

2 comentários:

Ingrid disse...

a rotina tão bem sentida e descrita nos teus versos..
dia em dias..
beijos ..e tenha um lindo "pedacinho de vida" hoje..

izildinha disse...

Esse poema retrata bem o início da caminhada,aquela martelada que damos no gelo,principalmente quando ainda todas as aspiraçòes do ontem,nos seguem no dia de hoje...Sensacional Poeta!